Novidade

1 — É constante a novidade. O presente é novidade, a novidade é a nova idade do novo tempo. Os dias não são dias, nem as semanas se acumulam em meses, nem os meses se acumulam pelos anos afora. A novidade é uma ilusão de óptica. A novidade também diz para nos agarrarmos a ela a bem irmos de encontro ao outro lado pela novidade da novidade da novidade da novidade. Ena tantos! Outros atropelam-se na voragem.

2 — Estamos cercados no precipício. Para os golpes de asa já nos anteciparam todas as jogadas. Editaram todas as regras do quotidiano. As nossas conquistas foram-se à mercê de um exército extinto além do negro mais negro da floresta.

3– Trincheiras construídas. Terreno minado. Soldados da liberdade desesperam frente ao ecrã. Nada querem fazer. Desse ruidoso silêncio sempre pode vir qualquer coisinha…

--

--

Pedro Góis Nogueira

Poems, short stories, essays and aphorisms | Lisbon, Portugal, 1974